A Trilha Gold Capital foi notícia na coluna Radar Econômico, da revista Veja. Na quarta (25/11) o colunista Machado da Costa relatou o anúncio, nas próximas semanas, da aquisição pelo Grupo Trilha Gold Capital, de quatro grandes áreas de grande potencial minerador do Brasil, situadas na região Norte do Brasil.

“Apenas o potencial certificado de produção nessas quatro áreas é estimado pela empresa em três milhões de onças de ouro (equivalente a cerca de 100 toneladas de ouro)”, afirmou a coluna. “Pela cotação atual, são mais de 5 bilhões de dólares em ouro escondidos nas terras dessas regiões.”

A revista mostrou ainda como a mineração de ouro voltou a atrair investimentos no Brasil após valorização expressiva durante a pandemia da Covid-19. “O Brasil voltou a ser a bola da vez no setor”, escreveu Machado da Costa.

A Trilha Gold Capital é uma empresa que acredita no Brasil, na retomada da economia, na geração de empregos e, sobretudo, no sonho de se construir uma mineração sustentável de verdade no país. Estamos investindo pesado no futuro da empresa, pois acreditamos que o mundo moderno, cada vez mais, vai depender da mineração.

Abaixo, matéria na íntegra.

Empresário compra áreas no Norte com ouro estimado em US$ 5 bi

Mineração do metal precioso volta a atrair investimentos no Brasil após valorização expressiva na pandemia

Diante da incerteza geral a respeito da duração da pandemia de Covid-19, o ouro, considerado um dos ativos de segurança, obteve expressiva valorização neste ano, alcançando a inédita marca, em agosto, de 2 mil dólares por onça-troy (23 gramas). Apesar da baixa recente, agora é cotado a 1,8 mil dólares, 50% acima do ano passado —, o atual patamar está atraindo a atenção de mineradores. O Brasil, assim, voltou a ser a bola da vez do setor.

O grupo Trilha Gold Capital, presidido por Basel Ibrahim Al Jughami, vai anunciar nas próximas semanas a aquisição de quatro áreas de grande potencial minerador no Brasil. Os investimentos serão feitos em áreas situadas na região Norte do país, segundo detalhou a empresa ao Radar Econômico. Apenas o potencial certificado de produção nessas quatro áreas no Norte do Brasil é estimado pela empresa em três milhões de onças de ouro (equivalente a cerca de 100 toneladas de ouro). Pela cotação atual, são mais de 5 bilhões de dólares em ouro escondidos nas terras dessas regiões.

O presidente da Trilha, Basel Ibrahim Al Jughami, prevê o início da extração para agosto de 2022. A fase pré-operacional, segundo ele, começa agora em janeiro.

A fonte da revista Veja, pode ser lido no link:

Artigo da Veja